Móveis com cor? A regra 60-30-10 ajuda a evitar erros.

Combinar as cores dos móveis pode ser um desafio. Graças a esta regra, o resultado será surpreendente.

A decoração de uma casa exige uma utilização hábil das cores, que devem ser cuidadosamente equilibradas para criar um conjunto orgânico e harmonioso. Para o fazeres, podes seguir uma regra muito simples, a dos 60-30-10. Adaptável a qualquer tamanho e a qualquer tipo de casa, permite-te fazer com que as cores comuniquem entre si. Descobre como funciona.

  • Como funciona a regra 60-30-10?

A regra 60-30-10 baseia-se na distribuição percentual das cores num espaço: 60% uma cor dominante, 30% uma cor secundária e 10% uma cor de destaque. Estas percentagens não são de forma alguma arbitrárias, mas baseiam-se na nossa percepção das cores. Em particular:

  • 60% é a quantidade da cor principal, ou seja, a que se vai utilizar nas paredes (ou partes delas) e nos móveis que chamam a atenção, como o sofá na sala de estar ou o roupeiro na zona de dormir;
  • 30% é a quantidade de cor reservada para os acessórios de decoração, como cortinados, roupa de cama, cadeiras ou mesas. É geralmente complementar à cor principal, mas “distancia-se” dela;
  • 10% é a cor de destaque, ou seja, algo que está totalmente em desacordo com o que domina a divisão. É normalmente utilizada em pequenos pormenores, como almofadas, quadros, cartazes ou candeeiros.

Tirar o melhor partido da regra para equilibrar as cores

A aplicação da regra 60-30-10 na decoração de interiores requer cuidado e sensibilidade no que respeita às proporções e às cores. Para passar da teoria à prática, podes seguir estes conselhos:

  • Definir uma paleta de cores: começa por escolher uma cor dominante que reflita a atmosfera que pretendes criar no teu espaço. Esta será a cor que ocupará 60% da tua divisão. Em seguida, seleciona uma cor secundária que proporcione um contraste harmonioso e, por fim, escolhe uma cor de realce para detalhes vivos e pontos focais;
  • Identificar os elementos-chave: é importante determinar que elementos de mobiliário corresponderão a cada percentagem. Por exemplo, a cor dominante pode ser as paredes ou o chão, a cor secundária os móveis maiores e a cor de destaque os objectos pequenos com um caráter forte;
  • Personaliza a regra de acordo com o contexto: não tenhas medo de te inspirar no ambiente que te rodeia. Se vives numa casa na cidade, opta por cores vivas; se vives no campo ou em zonas montanhosas, podes inspirar-te nas cores que rodeiam a casa, como o branco, o verde ou o castanho. Por fim, se vives junto ao mar, um grande clássico é optar por diferentes tons de azul. 

60-30-10 com duas cores de realce

Os últimos 10%, os das cores de realce, também podem ser duplicados. Por vezes, especialmente em divisões muito grandes, pode ser monótono utilizar apenas três cores. Neste caso, pode ser interessante aplicar uma ligeira variação à regra, ou seja, criar um 60-30-5-5.

Mas como escolher as duas cores de destaque? Uma vez que se trata de uma tonalidade contrastante, pode ser difícil encontrar duas que contrastem com a decoração da divisão e que trabalhem em sinergia. Para escolher a paleta correta, podes recorrer ao Círculo de Itten. Trata-se de uma ferramenta que, tendo em conta as cores primárias (60%) e as cores secundárias (30%), mostra um caleidoscópio de cores terciárias, que são precisamente as que devem ser utilizadas para os elementos de realce.

Os comentários estão fechados.

top